- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Método do Caminho Crítico: O que é, Como Funciona, Como Fazer

O Método do Caminho Crítico, do inglês Critical Path Method, sigla CPM, é uma técnica de gerenciamento de projetos que divide o projeto em várias tarefas de trabalho, exibe-os em um gráfico de fluxo e, em seguida, calcula a duração do projeto com base na duração estimada para cada tarefa. O método identifica as tarefas que são essenciais, de acordo com tempo, para a conclusão do projeto.

Caminho crítico é definido como como “a sequência de atividades programadas que determinam a duração de um projeto.” É a mais longa sequência de tarefas em um plano de projeto que deve ser concluído a tempo para que o projeto chegue ao prazo final.

Escrito por José Sérgio Marcondes
Postado 12/05/2022

Gerenciamento de Projetos

Projeto é um conjunto de atividades que têm uma data inicial e final definidas, persegue uma meta e usa um conjunto definido de recursos (SLACK, 2009).

Projetos são realizados para se alcançar objetivos. Objetivo pode ser definido como um resultado a que o trabalho ou serviço é orientado, uma posição estratégica a ser alcançada ou um propósito a ser atingido, um produto a ser produzido ou um serviço a ser realizado.

O gerenciamento de projetos refere-se a aplicação do conhecimento, habilidades, ferramentas e técnicas às atividades do projeto para atender aos seus requisitos e atingir os objetivos pretendidos. Um dos recursos usados na gestão de projetos é o Método do Caminho Crítico,

Quero saber mais sobre Gerenciamento de Projetos

O que é Método do Caminho Crítico?

O Método do Caminho Crítico, do inglês Critical Path Method, sigla CPM, é uma técnica de gerenciamento de projetos que divide o projeto em várias tarefas de trabalho, exibe-os em um gráfico de fluxo e, em seguida, calcula a duração do projeto com base na duração estimada para cada tarefa. O método identifica as tarefas que são essenciais, de acordo com tempo, para a conclusão do projeto.

O método do caminho crítico é a técnica usada mais frequente e efetivamente em planejamento de projetos. Quando você está gerenciando dezenas de tarefas, dependências e pessoas, o Método do Caminho Crítico o ajuda a manter seu projeto e orçamento em ordem, dando assim visibilidade a tarefas mais importantes de seu projeto.

O Método Caminho Crítico é um dos vários métodos usados para análise e planeamento de projetos. Ele está diretamente ligado no planejamento do tempo, com o objetivo de minimizar o tempo da duração total do projeto.

As atividades ou tarefas críticas definem assim o caminho crítico, revelando assim a sequência de tarefas que condicionam a duração total do projeto.

O Método do Caminho Crítico é um método de apuração do caminho crítico dada uma sequência de atividades, isto é, quais atividades de uma sequência não podem sofrer alteração de duração sem que isso reflita na duração total de um projeto. Com a ajuda desse método você poderá implementar um gerenciamento de projeto mais ágil.

Quero saber mais sobre Gerenciamento Ágil de Projetos

Diagrama caminho método caminho crítico

O que é Caminho Crítico?

Caminho crítico é definido como como “a sequência de atividades programadas que determinam a duração de um projeto.” É a mais longa sequência de tarefas em um plano de projeto que deve ser concluído a tempo para que o projeto chegue ao prazo final.

Embora muitos projetos tenham apenas um caminho crítico, alguns projetos podem ter vários caminhos críticos. Por definição, o caminho crítico é o conjunto de atividades que não podem sofrer atraso sem comprometer o projeto todo.

O sucesso de um projeto depende em grande parte da identificação e acompanhamento das suas atividades criticas.

Atividade Crítica – Para Morais (2015) uma atividade é considerada crítica quando qualquer atraso em sua realização causa atraso na realização do projeto como um todo. São as atividades cuja realização não apresenta folga de tempo. Por sua vez, as atividades não-críticas são aquelas que apresentam folga e que podem sofrer algum atraso, dentro de certos limites, sem atrasar o projeto.

Dependências das Tarefas

A dependência de tarefas é o relacionamento no qual uma tarefa, para ser concluída, depende da conclusão de uma outra tarefa, seguindo uma determinada ordem. A tarefa que depende da conclusão da tarefa anterior é a sucessora, e a tarefa da qual ela depende é a predecessora.

As dependências de tarefas implica em que uma nova tarefa só possa ser iniciada quando uma outra tarefa for concluída.

A interdependência entre as atividades de um projeto implica que algumas atividades devam ser executadas em série enquanto outras devam ser executadas paralelamente.

O CPM, Método do Caminho Crítico, possibilita a visualização das relações de interdependência das atividades, por meio de um diagrama de rede, e também possibilita a determinação do tempo total de duração, a magnitude e tipo das folgas entre as atividades.

Origem Método do Caminho Crítico?

O Método do Caminho Crítico teve sua origem nos anos anos de 1950 com dois projetos simultâneos porém não relacionados: Programa de Míssil Balístico da Marinha Americana e Reorganização das Instalações da Companhia El DuPont de Nemours.

O Programa de Míssil Balístico da Marinha Americana (Polaris) estava atrasado e precisava de ajuda para que o problema fosse resolvido. A solução sugerida foi que o projeto fosse dividido em milhares de tarefas, cada uma delas representadas por uma seta, cada seta conectada em sequência própria, com a estimativa de duração de cada tarefa e o cálculo da duração do projeto e do grau de importância crítica de cada tarefa.

A Companhia El DuPont de Nemours, uma companhia química americana, passava por atrasos em tempos de resposta em seu projeto para reorganização de suas instalações para a produção de vários produtos. Eles também precisavam de ajuda e a solução proposta era parecida com a do Programa Polaris.

A abordagem do grupo que desenvolveu o Programa Polaris foi nomeada Técnica de Projeto de Avaliação e Revisão (PERT), enquanto o método DuPont foi nomeado Método do Caminho Crítico (CPM).

A abordagem DuPont usava duração única para cada tarefa; preocupava-se, não somente com o tempo de conclusão do projeto, mas também com a análise de custos extras que seriam acumulados caso a duração do projeto fosse reduzida.

Qual o Objetivo do Método do Caminho Crítico?

O principal objetivo do Método do Caminho Crítico é indicar o tempo que será necessário para a conclusão do projeto, e permitir a visualização das atividades que contribuem diretamente para essa duração (atividades críticas). Permitindo o planejamento do tempo e alocação de recursos, com o objetivo de minimizar o tempo da duração total do projeto.

Elementos do Método do Caminho Crítico

Os elementos básicos de um Método do Caminho Crítico são:

  1. O diagrama de flechas;
  2. A atividade fantasma; E
  3. O nó ou evento.

1. Diagrama de Flechas

Diagrama de flechas é um gráfico das operações, em que cada operação é representada por uma flecha. Cada flecha tem uma ponta e uma cauda. A cauda representa o início da operação e a ponta marca o seu final. As flechas são usadas para expressar as relações entre as operações e definir uma ou mais das seguintes situações:

  • A operação deve preceder algumas operações;
  • A operação deve suceder algumas operações;
  • A operação pode ocorrer simultaneamente a outras operações.

Exemplo:

Exemplos de Diagramas de Flechas

2. Atividade Fantasma

Atividade fantasma é uma flecha tracejada usada como artifício para identificar a dependências entre operações. É também chamada de operação imaginaria e não requer tempo. Observe a figura:

A figura exemplifica as seguintes condições:

  • W deve preceder Y;
  • K deve preceder Z;
  • Y deve seguir-se a W e K.

Assim, as atividades W, Y, K e Z são operações físicas como tornear, montar, testar etc. Cada uma dessas operações requer um tempo de execução, enquanto a atividade fantasma um ajuste do cronograma, isto é, depende apenas da programação correta.

3. Nó ou Evento

Nó ou evento são círculos ou retângulos desenhados no início e no final de cada flecha. Têm o objetivo de facilitar a visualização e os veículos de tempo. Devem ser numerados e sua numeração é aleatória.

Exemplo:

O nó não deve ser confundido com uma atividade que demande tempo. Ele é um instante, isto é, um limite entre o início de uma atividade e o final de outra.

Como Funciona o Método do Caminho Crítico?

Para fazer o caminho crítico de um projeto é preciso ter em mãos a lista das atividades (tarefas), os tempos e a sequência lógica das atividades. Em seguida, vai-se posicionando as flechas e os nós obedecendo a sequência lógica e as relações de dependência. Abaixo de cada flecha, coloca-se o tempo da operação e acima, a identificação da operação.

Exemplo Caminho Crítico de um Projeto:

Um torno apresenta defeitos na árvore e na bomba de lubrificação e é preciso corrigir tais defeitos.

O que fazer?

1. Listam -se as tarefas, dependências e tempos, numa sequência lógica:

2. Constrói-se o diagrama do caminho critico:

3. Identificação do Caminho Crítico:

O caminho crítico é o caminho percorrido através dos eventos (nós) cujo somatório dos tempos condiciona a duração do trabalho. Por meio do caminho crítico obtêm-se a duração total do trabalho e a folga das tarefas que não controlam o término do trabalho.

4. Conclusão:

No diagrama anterior há três caminhos de atividades levando o trabalho do evento 0 (zero) ao evento 5:

  • A – B – D – F, com duração de 11 horas;
  • A – C – E – F, com duração de 9 horas;
  • A – B – imaginaria – E – F, com duração de 10 horas.

Há, pois, um caminho com duração superior aos demais, que condiciona a duração do projeto. É este o caminho crítico.

Importância do Método do Caminho Crítico

A importância do Método do Caminho Crítico está relacionado aos seguintes parâmetros:

  • Permitir saber, de imediato, se será possível ou não cumprir o prazo anteriormente estabelecido para a conclusão do plano;
  • Identificar as atividades críticas que não podem sofrer atrasos, permitindo um controle mais eficaz das tarefas prioritárias;
  • Permitir priorizar as atividades cuja redução terá menor impacto na antecipação da data final de término dos trabalhos, no caso de ser necessária uma redução desta data final;
  • Permitir o estabelecimento da primeira data do término da atividade;
  • Permitir o estabelecimento da última data do término da atividade.

Frequentemente, o caminho crítico é tão maior que os demais que basta acelerá-lo para acelerar todo o trabalho. Tendo em vista o conceito do caminho crítico, pode-se afirmar que as tarefas C e E do diagrama anterior podem atrasar até duas horas sem comprometer a duração total.

Como fazer o caminho crítico de um projeto? Passo a Passo:

  1. Especificar cada atividade do projeto;
  2. Estabelecimento de dependências de tarefas;
  3. Desenhar o diagrama de rede;
  4. Estimar o tempo de finalização de cada atividade;
  5. Identifique o caminho crítico;
  6. Atualização do diagrama do caminho crítico.

1. Primeiro Passo – Especificar cada Atividade do Projeto

Usando o plano de estrutura do projeto, você precisará identificar cada atividade (ou tarefa) envolvidas no projeto.

Um plano de estrutura do projeto divide o projeto em seções gerenciáveis. O primeiro passo é identificar os principais objetivos do projeto. Você poderá então dividir as atividades de alto nível em partes menores. Você poderá escolher como apresentar a divisão da estrutura de trabalho do projeto.

Algumas pessoas usam uma estrutura hierárquica, enquanto outras usam listas ou tabela. Um esboço é uma das maneiras mais fáceis de representar a estrutura da divisão da atividade.

2. Segundo Passo – Estabelecimento de Dependências de Tarefas

Algumas atividades dependem da finalização de outras. Tendo uma lista de atividades e sabendo qual a atividade diretamente dependente da anterior será de grande ajuda para a identificação da sequência correta.

Para identificar corretamente os antecessores imediatos de cada atividade, você deverá fazer as três perguntas seguintes para cada atividade em sua lista, desde de o primeiro passo:

  • Qual tarefa deve ser finalizada antes de que essa tarefa comece?
  • Quais tarefas devem ser finalizadas ao mesmo tempo que esta tarefa?
  • Quais tarefas devem acontecer assim que esta tarefa seja concluída?

3. Terceiro Passo – Desenhar o Diagrama de Rede

Uma vez que você tenha identificado as atividades e suas dependências, você poderá então fazer o esboço do gráfico de análise do caminho crítico, conhecido como diagrama de rede. O diagrama de rede é uma representação visual da organização de suas atividades baseado em dependências. Este diagrama do caminho crítico pode ser esboçado a mão, ou por software.

4. Quarto Passo – Estimativa de tempo de finalização da atividade

Caso esteja gerenciando um projeto menor, você provavelmente fará a estimativa em dias. Se o projeto for mais complexo, você poderá medir o tempo em semanas. Se não se sentir seguro usando as estimativas disponíveis, você poderá então fazer uso da estimativa de 3 pontos, que é designada para o maior valor em um prazo mais realista.

Na estimativa de 3 pontos, você deve criar três estimativas de tempo para cada tarefa, baseando-se em experiência anterior ou melhor suposição. O método de estimativa é apresentado em fórmulas para que o cálculo da duração de tempo seja mais preciso.

  • a = a estimativa do melhor cenário;
  • m = a estimativa de maior probabilidade;
  • b = a estimativa do cenário menos favorável.

Estes três valores identificam o que acontece em um estado mais favorável, o que seria mais provável e o que aconteceria em um cenário menos favorável. Com base nos três valores é possível estabelecer uma média de tempo para duração das tarefas.

5. Quinto Passo – Identifique o caminho crítico

Agora existem duas formas que o ajudarão a identificar o caminho crítico. Você pode dar uma olhada no diagrama de rede e simplesmente identificar o caminho mais longo na rede, ou seja, a sequência mais longa de atividades no caminho. Assegure-se de procurar pelo caminho mais longo em termos de duração em dias, não o caminho com mais caixas ou nós.

Você também pode identificar atividades críticas com a técnica de avanços e retrocessos, identificando mais cedo assim os tempos de início e término para cada atividade. Se você tem múltiplos caminhos críticos, você termina por ter sensibilidade de rede.

Um cronograma de projeto é considerado sensível se o caminho crítico tem a tendência de se modificar uma vez que o projeto tem início. Quanto mais caminhos críticos em um projeto, maior a probabilidade de mudança em cronograma.

6. Sexto Passo – Atualização do diagrama do caminho crítico para apresentação do progresso

No decorrer do projeto, você verá os tempos atuais de término das atividades. O diagrama de rede pode ser atualizado para incluir esta informação (ao invés de continuar usando as estimativas).

Ao atualizar os diagramas de rede assim que novas informações emergem, você pode recalcular um caminho crítico diferente. Também terá uma visão mais realista sobre a data de conclusão e saberá se está no caminho certo ou se está atrasado.

As Vantagens do Método do Caminho Crítico

Um das maiores vantagens do Método do Caminho Crítico é a possibilidade de identificação das tarefas críticas que, caso não relevadas, terão grande impacto na data de conclusão do projeto. Um outro benefício importante também é a visibilidade que você terá sobre o andamento de seu projeto, o que o auxilia a confirmar que tudo está ocorrendo conforme o planejamento.

O método do caminho crítico apresenta uma representação visual das atividades do projeto, mostrando claramente o tempo necessário para conclusão de tarefas e rastreia as atividades críticas para que você não seu projeto.

Ao longo do projeto, o gestor pode identificar as tarefas que já foram finalizadas, prever a duração dos projetos em andamento e planejar quaisquer mudanças em sequências e durações futuras de cada tarefa.

O método do caminho crítico também diminui incertezas porque você tem que calcular ambos os tempos de conclusão de duração, o mais longo ou o mais curto, para cada atividade. Isso o faz então considerar fatores inesperados que podem ter impacto em suas tarefas e reduzir as chances de surpresas inesperadas que possam ocorrer no desenrolar do projeto.

Benefícios do Método do Caminho Crítico

De acordo com Dr. Bennett, o método do caminho crítico também apresenta três benefícios para gerentes de projeto:

  1. Identifica as tarefas mais importantes: o método do caminho crítico identifica claramente as tarefas as quais precisam ser dadas maior atenção. Caso qualquer tarefa demore mais do que o tempo estimado, comece ou termine mais tarde que o planejado, o projeto inteiro poderá ser negativamente afetado.
  2. Ajuda reduzir a duração de projetos: “se após a análise de tempo inicial ainda houver interesse em diminuir a duração do projeto, será clara qual a tarefa poderá ter sua duração reduzida” de acordo com Dr. Bennett. Quando os resultados do método do caminho crítico são apresentados em um gráfico de barras, como o Gráfico Gantt, fica mais fácil de ver e analisar o tempo do trabalho como um todo.
  3. Compara o que foi planejado com o progresso real: E por fim, Dr. Bennett diz que o método do caminho crítico também pode ser usado para planejar progresso futuro, comparando-o com o progresso em tempo real. Com o desenvolver do projeto, o cronograma de base é desenvolvido a partir da análise do caminho crítico inicial para acompanhar o progresso programado.

Software do Método do Caminho Crítico

Você pode fazer o caminho critico a mão ou através de programas de software de gerenciamento de projeto, disponíveis no mercado, que farão este trabalho para você com mais velocidade e qualidade.

Você Gostou do Artigo? Sem sim, colabore com o crescimento e divulgação do Blog

Aqui no Blog publico frequentemente artigos relacionados a segurança privada e gestão organizacional, visando sempre agregar conhecimento para os leitores, visando seu desenvolvimento profissional e pessoal.

Para continuar publicando e disponibilizando os artigos de forma gratuita a todos, solicito a você leitor ou leitora, que ajude na divulgação e crescimento do blog, fazendo pelo menos uma das práticas a seguir:

  • Deixe seu comentário no final do artigo, ele é muito importante para mim;
  • Divulgue, curta e compartilhe as publicações com seus amigos pelas redes sociais;
  • Inscreve-se na nossa Newsletter. Cadastre seu e-mail logo abaixo e receba avisos sobre novas publicações.
[jetpack_subscription_form show_subscribers_total=”false” button_on_newline=”true” custom_font_size=”16px” custom_border_radius=”0″ custom_border_weight=”1″ custom_padding=”15″ custom_spacing=”10″ submit_button_classes=”” email_field_classes=”” show_only_email_and_button=”true”]

Forte abraço e sucesso!
José Sérgio Marcondes – CES
Especialista em Segurança Empresarial
Consultor em Segurança Privada
Diretor do IBRASEP

Leia também…

Sugiro a leitura dos artigos a seguir como forma de complementar o aprendizado desse artigo.

Gráfico de Gantt: O que é, Para que serve, Como Funciona, Como Montar

Projeto: O que é, Definições, Objetivos, Características e Exemplos

Gerenciamento de Projetos: O que é, Objetivos e Áreas de Conhecimento

Dados para Citação Artigo

MARCONDES, José Sérgio ( 12 de maio de 2022). Teoria da Aceitação da Autoridade (Barnard): O que é? Conceitos. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/metodo-do-caminho-critico-o-que-e/– Acessado em (inserir data do acesso).

Referencia Bibliográfica

SLACK, N. Administração da Produção. 3a ed. São Paulo: Editora Atlas, 2009.

MORAIS, F, M. Apostila – Pesquisa Operacional II. Unespar/Campo Mourão, 2015.

AVILA, A. V. Planejamento Capitulo 6: O Método PERT-CPM. Apoio Didático. Universidade Federal de Santa Catarina, 2012.

CUKIERMAN, Zigmundo Salomão. O modelo PERT/CPM aplicado a projetos. 7ª ed. Rio de Janeiro: Riechmann & Affonso Ed., 2000.

TUBINO, D. F. Manual de planejamento e controle da produção: Teoria e Pratica. 2. Ed. São Paulo: Atlas, 2007

"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

José Sergio Marcondes é formado em Gestão de Segurança Privada e possui MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. É especialista em Segurança Privada, certificado com CES (Especialista em Segurança Empresarial) e CPSI (Certificado Profissional em Segurança Internacional). Atualmente, atua como consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial Com mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada, acumulando resultados relevantes nas áreas operacionais, administrativas e comerciais.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


  1. Moacyr Junior!
    Sim se o evento for num local que pertença a empresa. Caso contrário não.
    Forte abraço e sucesso.

  2. Bom dia , Professor! Gostaria de saber , mesmo não sendo assunto desta matéria, o vigilante de empresa orgânica , pode ser destacado para trabalhar em algum evento promovido pela empresa? Ou somente dentro das dependências?

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.