- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Análise Qualitativa e Quantitativa de Riscos – Conceitos e Diferenças

Análise Qualitativa e Quantitativa de Riscos - Conceitos e Diferenças

A análise quantitativa de risco é usada para classificar um risco por meio de termos (palavras) que procurem mensurar a intensidade das conseqüências de um determinado risco com as probabilidades dos mesmos ocorrerem. Já a análise semi-qualitativa é aquela que procura atribuir valores numéricos aos termos selecionados na análise qualitativa, sem que haja necessidade de que os valores correspondam exatamente a intensidade das conseqüências ou suas probabilidades.

A expressão qualitativa pressupõe a ideia de se qualificar um risco em termos (palavras), enquanto que a expressão quantitativa busca qualificar em expressão matemática (números).

1. Definição de Análise Qualitativa

A análise quantitativa de risco é usada para classificar um risco por meio de termos (palavras) que procurem mensurar a intensidade das conseqüências de um determinado risco com as probabilidades dos mesmos ocorrerem.

O objetivo é compreender o fenômeno através da coleta de dados narrativos e características apresentadas.

De acordo com a Norma AS/NZS 4360 (2004) a realização de uma análise qualitativa requer a utilização de termos (palavras) que procurem mensurar a intensidade das conseqüências de um determinado risco com as probabilidades dos mesmos ocorrerem. Normalmente estes termos são ajustáveis de acordo com as circunstâncias, podendo um mesmo termo ser adaptável a diferentes tipos de riscos.

Ainda segundo a norma AS/NZS 4360, a análise qualitativa é frequentemente utilizada: Nas fases iniciais dos processos, de forma a identificar os riscos envolvidos, que possuem um alto nível de criticidade:

  • Quando o nível do risco identificado não necessitar de análises mais detalhadas; ou
  • Quando não for possível realizar uma análise quantitativa, devido à carência de dados numéricos (Norma AS/NZS 4360, 2004, p. 19).

A análise qualitativa de riscos tem como objetivo avaliar a exposição ao risco para priorizar os riscos que serão objeto de avaliação ou ação adicional.

1.2 Exemple Análise Qualitativa de Riscos


As tabelas a seguir, trazem de maneira simplificada, algumas escalas qualitativas de probabilidades subjetivas dos riscos e suas conseqüências, utilizando-se de medidas simples, de forma a atender as necessidades de uma determinada organização:

Análise Qualitativa
Imagem 02 – Modelo de planilha de análise qualitativa de consequências/impactos
Análise Qualitativa
Imagem 03 – Modelo de planilha de análise qualitativa de probabilidade

Após a identificação e classificação do nível de risco pela organização, definindo suas probabilidades e conseqüências, é possível estabelecer uma Matriz de Análise Qualitativa de Riscos, a seguir, composta por um conjunto de categorias que reflitam as necessidades da organização, e definindo as ações que serão adotadas para o tratamento, monitoramento ou transferência dos riscos.

Imagem 04 – Matriz de Análise Qualitativa de Riscos

1.3 Critérios Básicos Análise Qualitativa de Riscos

Segundo Duarte (2005) para que a empresa possa adotar a implementação de uma abordagem qualitativa para o gerenciamento de riscos é necessária uma auto-avaliação focada em três possibilidades.

A. Concentrar-se em unidades


A primeira possibilidade é concentrar-se em unidades (como mesa de operações, compliance, back office, auditoria, comercial, etc.). Nesse caso, caberia ao responsável por cada uma das unidades da empresa identificar as principais atividades diárias de sua unidade, bem como todos os riscos presentes em cada atividade listada, além de identificar a efetividade dos controles internos existentes para fazer frente a cada risco detectado.

E, caso o controle interno seja julgado insuficiente, propor melhorias a serem implementadas e aprovadas pelo Gerente e pela Auditoria Interna em curto prazo. Assim teríamos uma visão completa dos riscos existentes em cada unidade da empresa.

B. Concentrar-se nos produtos e serviços oferecidos

A segunda possibilidade é concentrar-se nos produtos e serviços oferecidos aos clientes. Nesse caso, cada produto e serviço devem ter seu processo entendido em “detalhes dentro de urna metodologia desenvolvida e implementada pelo Gerente.

Em linhas gerais, a metodologia deverá seguir os princípios daquela apresentada às unidades, identificando inicialmente as atividades de cada uma das cinco etapas relacionadas a um produto ou serviço (ou seja, análise de viabilidade, criação, desenvolvimento, implementação e manutenção), para determinar os riscos presentes nessas atividades e utilizar os controles internos para mitigar os riscos identificados e, no final, uma análise da efetividade dos controles, seguida das melhorias necessárias no caso em que deficiências tenham sido encontradas.

Nesta segunda possibilidade teríamos uma visão completa dos riscos presentes em produtos e serviços na empresa.

C. Concentrar-se nos processos internos

A terceira possibilidade é concentrar-se nos processos internos, ou seja, queles que não resultam em contato direto com os clientes.

Ao contrário das duas possibilidades anteriores, nas quais é factível (e recomendado) desenvolver e implementar uma metodologia geral, sobre os processos internos, cada caso requer uma análise específica, com seu fluxo o mais detalhado possível, de forma a facilitar a , identificação dos riscos presentes, os controles praticados e as respectivas deficiências.

Nesta terceira possibilidade teríamos uma visão completa dos riscos presentes em processos internos.

2. Análise Semi-Qualitativa

Segundo a com a Norma AS/NZS 4360 (2004), a análise semi-qualitativa é aquela que procura atribuir valores numéricos aos termos selecionados na análise qualitativa, sem que haja necessidade de que os valores correspondam exatamente a intensidade das conseqüências ou suas probabilidades.

O objetivo desta análise é realizar um levantamento mais flexível e detalhado dos riscos envolvidos, sem a utilização de valores absolutos, como o que acontece na análise quantitativa.

No entanto para a realização desta análise deve-se prestar muita atenção na legitimidade dos números, pois estes podem não refletir com a realidade, levando a análise a obter resultados incompatíveis com a verdade, e trazer sérias conseqüências à organização.

Para evitar essa inconsistência de resultados é recomendado que esta análise seja realizada sempre em conjunto com outras análises.

3. Análise Quantitativa

De acordo com a Norma AZ/NZS 4360 (2004) a análise quantitativa é aquela que procura utilizar-se apenas de valores numéricos para representar as conseqüências e as probabilidades.

Pode-se utilizar dados de várias fontes, tais como: registros anteriores; experiências pertinentes; prática e experiência do setor da empresa; publicações pertinentes; teste de Marketing e pesquisa de mercado; experimentos e protótipos; modelos econômicos; modelos de engenharia; opinião de especialistas, entre outros.

A qualidade da análise depende da precisão e da abrangência dos valores numéricos utilizados.

Segundo Duarte (2005) para que a empresa possa implantar uma abordagem quantitativa, ela deve estar focada em quatro estágios:

  • Implantação preliminar da abordagem qualitativa descrita anteriormente;
  • Criação de um banco de dados com cobertura geral em relação às perdas por unidades, produtos, serviços e processos internos;
  • Adoção de um conjunto de indicadores de perdas operacionais para facilitar o acompanhamento da evolução dessas perdas;
  • Desenvolvimento e implementação de uma metodologia para o cálculo do nível de provisão econômica e do capital econômico para perdas operacionais, incluindo medidas de retorno ajustado ao risco operacional.

O objetivo das avaliações de risco quantitativas é tentar calcular valores numéricos objetivos para cada um dos componentes coletados durante as fases de análise de custo/benefício e de avaliação de risco.

4. Você Gostou? Sem sim, colabore com o crescimento do Blog

Para continuar publicando e disponibilizando os artigos de forma gratuita a todos, solicito a você leitor ou leitora, que ajude na divulgação e crescimento do blog, fazendo pelo menos uma das práticas a seguir:

  • Deixe seu comentário no final do artigo, ele é muito importante para nós;
  • Divulgue, curta e compartilhe as publicações com seus amigos pelas redes sociais;
  • Leia mais um artigo, essa prática nos ajuda muito;
  • Inscreve-se na nossa Newsletter.

Convido você a se inscrever para acompanhar as publicações do nosso blog, os links para cadastro estão na lateral do blog para acessos com desktop ou logo abaixo para acessos com celular.

Obrigado pelo tempo disponibilizado na leitura de nosso artigo, espero que tenha sido útil pra você!

Forte abraço e sucesso!

Acesse o botão a seguir e você encontrará uma lista de posts relacionados ao tema desse post, que lhe serão muito úteis como leitura complementar a esse assunto. Quero saber mais sobre esse assunto.


Voltar para o Índice

13. Dados para Citação em Trabalhos

MARCONDES, José Sérgio ( 18 de junho de 2020). Análise Qualitativa e Quantitativa de Riscos – Conceitos e Diferenças. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/tipos-de-analise-qualitativa-e-quantitativa – Acessado em (inserir data do acesso).


Voltar para o Índice

14. Referencias Bibliográficas

BERNSTEIN, Peter L.; “Desafio aos Deuses: A Fascinante História dos Riscos”; 6ª edição; São Paulo; Campus; 1997.

COCURULLO, Antonio; “Gestão de Riscos Corporativos: Riscos Alinhados com Algumas Ferramentas de Gestão”; 29 Edição; São Paulo; Tecci; 2003.

De CICCO, Francesco e FANTAZZINI, Mario Luiz; “Tecnologias Consagradas de Gestão de Riscos”; Série Risk Management; São Paulo; 2003.


"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

José Sergio Marcondes é formado em Gestão de Segurança Privada e possui MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. É especialista em Segurança Privada, certificado com CES (Especialista em Segurança Empresarial) e CPSI (Certificado Profissional em Segurança Internacional). Atualmente, atua como consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial Com mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada, acumulando resultados relevantes nas áreas operacionais, administrativas e comerciais.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


  1. Olá Gutemberg Camargo!
    Grato pelo alerta de erro, já corrigimos.
    Obrigado pelo seu comentário.
    Forte abraço e sucesso!

  2. Olá Aldo Reis!
    Parabéns pelo seu primeiro, de muitos, trabalhos em análise de riscos.
    Agradeço suas palavra e fico muito feliz em saber que o artigo está sendo útil para você.
    Forte abraço e sucesso!

  3. Excelente trabalho, para estudantes e profissionais, conteúdo rico e com detalhes. sou Arquiteto e Urbanista e com Pós em Segurança do Trabalho, e estou no processo do meu primeiro trabalho em Análise de Riscos, agradeço por esta oportunidade de conhecimentos que estão nos ofertando. Agradecimentos daqui do Amazonas/Manaus.

  4. Olá, só para correção, tem um parágrafo onde era supostamente para estar escrito “bem como” e está outra coisa.
    “A primeira possibilidade é concentrar-se em unidades (como mesa de operações, compliance, back office, auditoria, comercial, etc.).

    Nesse caso, caberia ao responsável por cada uma das unidades da empresa identificar as principais atividades diárias de sua unidade, bem corno<- todos os"

    O artigo está me ajudando muito a realizar o levantamento de riscos na empresa onde trabalho, agradeço desde já o conteúdo aqui adquirido.

  5. Olá Tiago!
    Obrigado pelo seu comentário.
    Forte abraço e sucesso.

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.