- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Teoria dos Dois Fatores de Herzberg: Fatores Higiênicos e Motivacionais

A Teoria dos Dois Fatores de Herzberg é uma teoria motivacional proposta por Frederick Herzberg que aborda a situação de motivação e satisfação das pessoas no ambiente de trabalho. Seu objetivo é buscar entender quais são os fatores que causam satisfação ou insatisfação no ambiente de trabalho.

A teoria dois fatores foi desenvolvida com base numa pesquisa feita por Herzberg, na qual ele questionou vários empregados sobre as situações na organização que os deixavam bem ou mal. Pediu, também, que estas pessoas descrevessem esses momentos e, assim, criou categorias para o estudo.

Herzberg entende que o maior fator motivacional para o homem está dentro do seu próprio trabalho, ou seja, acredita que a relação de uma pessoa com o seu trabalho é básica e que as atitudes tomadas podem refletir no seu sucesso ou no seu fracasso na empresa.

Escrito por José Sérgio Marcondes
Postado 21/07/2021

O que é Motivação?

Motivação é uma força interna, que se encontra dentro de cada um, nasce das suas necessidades e desejos. Pode  ser  definida  como  aquilo  que  é  susceptível  de  mover o indivíduo.  É  o  que  faz  o  indivíduo  agir  para  atingir  algo  que  ele considere  um objetivo.

A motivação é aquela força interna que te empurra na direção dos sonhos, objetivos e metas. Ela é capaz de inspirar e instigar o indivíduo a seguir em frente e persistir, independentemente das dificuldades e obstáculos.

A motivação é considerada um condição indispensável para que os empregados executem suas atribuições de forma satisfatórias nas organizações. Assim estudos sobre motivação buscam compreender como se dá o desencadeamento de determinados comportamentos por parte das pessoas, e quais fatos serviriam de “gatilhos” para tais comportamentos.

Neste contexto as teorias de motivação buscam explicar por que as pessoas se empenham no trabalho, e o que as fazem sentir motivação ou desmotivação no ambiente profissional.

O que é a Teoria dos Dois Fatores de Herzberg?

A Teoria dos Dois Fatores de Herzberg é uma teoria motivacional proposta por Frederick Herzberg que aborda a situação de motivação e satisfação das pessoas no ambiente de trabalho. Seu objetivo é buscar entender quais são os fatores que causam satisfação ou insatisfação no ambiente de trabalho.

É uma suposição teórica, baseada em estudos realizados por Herzberg a respeitos das causas da motivação humana nos seus afazeres profissionais.

Nesta teoria motivacional, Herzberg afirmava que existiam dois fatores que afetavam o individuo no seu ambiente profissional, sendo eles:

  • Fatores motivacionais ou fatores intrínsecos (que levam a satisfação): estão relacionados com o conteúdo do cargo ou com a natureza das tarefas que o indivíduo executa. Estão sobre o controle do indivíduo e englobam os sentimentos de autorrealização, crescimento individual e reconhecimento profissional;
  • Fatores higiênicos ou fatores extrínsecos (que levam a insatisfação): se localizam no ambiente que rodeia o individuo e se referem às condições dentro das quais ele desempenha seu trabalho. Não estão sobre o controle do individuo, pois são administrados pela organização. Fazem parte destes fatores: estilo de supervisão, salário, relações interpessoais, políticas RH entre outros.

A teoria dos dois fatores aborda um estudo que teve como objetivo entender os fatores responsáveis pela motivação e satisfação das pessoas em um ambiente de trabalho. Publicado por Frederick Herzberg, em seu livro, “A Motivação para Trabalhar”, o estudo ficou conhecido mundialmente e, até hoje, é utilizado como uma grande referência.

O que são Fatores Motivacionais?

Os fatores motivacionais, também chamados de intrínsecos, são os fatores relacionados diretamente com o cargo que o indivíduo ocupa ou a tarefa que executa na empresa.

Estes fatores estão sob o controle da própria pessoa e envolvem as necessidades de auto-realização, de crescimento individual e reconhecimento profissional.

Herzberg chama os fatores motivacionais de fatores satisfacientes quando estes fatores são ótimos e provocam a satisfação e, que quando precários, evitam a insatisfação.

Os fatores satisfacientes no cargo e incluem: delegação de responsabilidade; liberdade de exercer discrição; promoção; uso pleno das habilidades; estabelecimento de objetivos e avaliação relacionadas com eles; ampliação ou enriquecimento do cargo.

Segundo Chiavenato (2003, p.33) “quando os fatores motivacionais são ótimos, eles provocam a satisfação nas pessoas. Porém, quando são precários, eles evitam a satisfação.”

Uma das características para a pessoa estar continuamente motivada dentro da organização está ligado ao incentivo pessoal nas tarefas que desempenha.

Segundo Chiavenato (2003) ao substituir tarefas simples por mais complexas no cargo ajudaria o indivíduo em seu crescimento profissional dentro do ambiente de trabalho, oferecendo a eles condições de desafio e satisfação profissional no cargo.

Segundo ao autor ainda, a liberdade na execução de tarefas mais complexas estimula e enriquece o conhecimento do indivíduo na busca de novos desafios, gerando capacidade de raciocínio em resolver problemas cada vez mais complexos de dentro da organização.

O que são Fatores Higiênicos?

Os fatores higiênicos, igualmente conhecidos por fatores de manutenção ou extrínsecos, referem -se ao ambiente organizacional. São fatores como salários, benefícios, tipos de supervisão, condições de trabalho, política da empresa, relacionamentos interpessoais entre outros, que influenciam o funcionário.

Os fatores higiênicos não causam satisfação, apenas evitam a insatisfação, segundo Chiavenato (1987), e por esta razão são chamados por Herzberg de fatores insatisfacientes.

Assim, para Chiavenato (2003), se forem oferecidos aos trabalhadores mais fatores higiênicos, até pode-se evitar a insatisfação do indivíduo, contudo não será suficiente para que os seus funcionários trabalhem mais ou com mais eficiência, pois os efeitos obtidos com o aumento dos fatores higiênicos são temporários, ou seja, não são uma estratégia sólida de motivação.

Refere-se a fatores externos recebidos pelo indivíduo os quais ele não consegue obter o controle da situação, uma vez que esse fato não depende apenas dele para que ocorra.

Dessa forma esses fatores higiênicos quando presentes no ambiente apenas impendem a insatisfação de uma pessoa não sendo razão para que essa pessoa se sinta motivada. Essas características são: Condições ambientais de trabalho, Prêmios de produção, Relações com sua chefia, Relações com colegas, Remuneração recebida (RENNÓ, 2015).

Origem da Teoria dos Dois Fatores de Herzberg

A teoria dois fatores foi desenvolvida com base numa pesquisa feita por Herzberg, na qual ele questionou vários empregados sobre as situações na organização que os deixavam bem ou mal. Pediu, também, que estas pessoas descrevessem esses momentos e, assim, criou categorias para o estudo.

Deste modo, Herzberg concluiu que os fatores referentes aos momentos de satisfação das pessoas com o trabalho são muito diferentes dos fatores que geram os momentos de insatisfação.

Robbins (2002) afirma que Herzberg observou características que sempre serão associadas à satisfação com o trabalho e outras, com a insatisfação (Figura 2) e que os fatores intrínsecos, como o trabalho em si, responsabilidades e realizações, estão relacionados à satisfação com o trabalho: os indivíduos da pesquisa que se sentiam bem com o seu trabalho atribuíam essa condição a eles mesmos e não a situações externas.

Já os funcionários insatisfeitos indicavam os fatores externos – supervisão, remuneração, condições de trabalho etc. – como os culpados pelas suas insatisfações.

Figura – 02

Pressupostos Teoria dos Dois Fatores de Herzberg

A partir dos resultados da sua pesquisa, Herzberg afirmou que insatisfação não é necessariamente o sentido oposto da satisfação, visto que nem sempre a eliminação de condições insatisfatórias no trabalho ocasionará em satisfação. Assim, passou-se a considerar que o oposto de satisfação é a não-satisfação e que o oposto de insatisfação é a não insatisfação.

Chiavenato (1987) explica que a satisfação no trabalho ou no cargo que ocupa na empresa é função do conteúdo ou das atividades que desafiam ou estimulam o funcionário – são os chamados fatores motivacionais. A insatisfação tem relação com o contexto, com a realidade da organização, do ambiente organizacional, do salário, dos colegas etc – são os fatores denominados higiênicos.

Herzberg entende que o maior fator motivacional para o homem está dentro do seu próprio trabalho, ou seja, acredita que a relação de uma pessoa com o seu trabalho é básica e que as atitudes tomadas podem refletir no seu sucesso ou no seu fracasso na empresa.

A principal diferença entre as teorias de Maslow e a de Herzberg é em relação ao ponto de referência que serviu de base para os estudiosos: enquanto Maslow observou a motivação dentro das necessidades humanas, Herzberg a analisou considerando o ambiente externo e o trabalho do indivíduo, como afirma Chiavenato (2003).

O trabalho de Herzberg focou, principalmente, o tipo de tarefas realizadas pelos trabalhadores de acordo com o seu cargo ocupado na empresa.

Diferença entre as Teorias de Maslow e a de Herzberg

É possível fazer uma relação entre a Teoria das Necessidades de Maslow e a Teoria dos Dois Fatores de Herzberg. Os fatores higiênicos correspondem às necessidades de baixo nível – ou primárias –, como as fisiológicas e de segurança, além de algumas necessidades sociais. Já os fatores motivacionais estão relacionados às necessidades de alto nível – ou secundárias –, como as necessidades de estima e auto-realização.

Se você gostou do artigo e achou útil, por favor, deixe um comentário logo abaixo para compartilhar sua opinião conosco. Ela é extremamente valiosa para mim!

Um forte abraço e votos de sucesso!

José Sergio Marcondes – CES – CPSI – Gestor, Consultor e Diretor do IBRASEP. Sou um profissional com competências sólidas nas áreas de segurança privada e gestão empresarial. Conecte comigo nas redes sociais.

Ajudar a divulgar nosso trabalho é fundamental! Curta e compartilhe nossas publicações com seus amigos nas redes sociais. Essa atitude não apenas incentiva o autor a publicar mais artigos relevantes, mas também possibilita que mais pessoas tenham acesso a esse conteúdo valioso.

Faça parte da nossa comunidade!

Você busca conhecimentos atualizados e oportunidades para aprimorar suas competências nas áreas de segurança privada e gestão empresarial? Não perca a chance de se manter informado e conectado com as últimas tendências e insights do setor!

Inscreva-se em nossa Newsletter e junte-se ao nosso Grupo no WhatsApp para receber notificações sobre novos artigos, dicas valiosas e recursos adicionais que impulsionarão sua carreira profissional.

Indicação de Artigos Complementares

Sugiro a leitura dos artigos a seguir como forma de complementar o aprendizado desse artigo.

Motivação: O que é, Definição, Conceito, Quais são os Tipos, Importância

Teoria X e Teoria Y de Douglas McGregor: O que são? Suposições

Hierarquia de Necessidades de Maslow: O que? Como Funciona

Dados para Citação Artigo

MARCONDES, José Sérgio (21 de julho de 2021). Teoria dos Dois Fatores de Herzberg: Fatores Higiênicos e Motivacionais. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/teoria-dos-dois-fatores-de-herzberg-fatores-higienicos-e-motivacionais/– Acessado em (inserir data do acesso).

"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

Graduado em Gestão de Segurança Privada, MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. Detentor das Certificações CES (Certificado de Especialista em Segurança Empresarial), CPSI (Certificado Profesional en Seguridad Internacional), CISI (Certificado de Consultor Internacional en Seguridad Integral, Gestión de Riesgos y Prevención de Pérdidas). Mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada. Consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial.

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


  1. Olá Angelo José!
    Obrigado pelo seu comentário.
    Forte abraço e sucesso.

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.