- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Segurança Objetiva e Subjetiva: Conheça a Definição, Diferenças, Impactos e Estratégias

A segurança vai além da presença de agentes armados: descubra a importância da segurança subjetiva e objetiva para promover um ambiente seguro e confiável.

A segurança objetiva e a segurança subjetiva são interdependentes e complementares para criação de ambientes realmente seguros e saudáveis. Enquanto a segurança objetiva estabelece as bases físicas e tangíveis para a proteção, a segurança subjetiva influencia o comportamento, o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas que habitam ou frequentam o ambiente.

Imagine uma residência com muros altos, cercas elétricas e câmeras de segurança e patrulhas constantes da PM no bairro. À primeira vista, pode parecer um ambiente extremamente seguro, onde a proteção é uma prioridade. No entanto, apesar das medidas objetivas de segurança, muitas vezes nos deparamos com relatos de moradores que ainda se sentem inseguros ao caminhar pelas ruas à noite, ou que hesitam em utilizar os parques públicos mesmo com a presença de câmeras de vigilância.

Esta dicotomia entre a segurança que é medida e a segurança que é sentida revela a complexidade do conceito de segurança. Afinal, a segurança vai além das estatísticas de crimes ou da presença de sistemas de vigilância. Envolve também a sensação de bem-estar, a confiança nas autoridades, e as experiências pessoais que moldam a percepção individual do ambiente.

Neste artigo, exploraremos os conceitos de segurança objetiva e subjetiva, destacando suas definições, diferenças, interdependências e as principais estratégias para promover ambas. Ao entender essa dualidade e integrá-la de maneira eficaz, podemos criar comunidades mais seguras, acolhedoras e resilientes para todos os seus ocupantes.

Por José Sergio Marcondes – Postado 19/03/2024

Conceitos Relativos a Segurança Objetiva e Segurança Subjetiva

A definição de segurança é abrangente e não possui um único significado definido. Sua interpretação varia conforme o contexto em que é considerado. Em linhas gerais, pode-se definir o conceito de segurança como a condição de “estar ou sentir-se protegido e livre de ameaçasriscos ou perigos”.

A segurança, de forma geral, é um conceito complexo que abrange uma gama de variáveis, incluindo tanto aspectos objetivos quanto subjetivos. Ela não se limita apenas à ausência de perigos físicos, mas também engloba a sensação de bem-estar, proteção e confiança que as pessoas experimentam em um determinado ambiente.

A segurança objetiva e a segurança subjetiva são interdependentes e complementares na criação de ambientes verdadeiramente seguros e saudáveis. Enquanto a segurança objetiva estabelece as bases físicas e tangíveis para a proteção, a segurança subjetiva influencia o comportamento, o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas que habitam ou frequentam um determinado local.

Promover um ambiente seguro requer uma abordagem holística da segurança que combine medidas físicas, sociais, comunitárias e psicológicas. Ao implementar essas estratégias e ações de forma integrada e colaborativa, é possível promover ambientes mais seguros, onde as pessoas se sintam protegidas, engajadas e conectadas com suas comunidades. A combinação de medidas objetivas e subjetivas é essencial para construir uma cultura de segurança abrangente e sustentável.

Definição de Segurança Objetiva

A segurança objetiva se refere aos aspectos tangíveis e mensuráveis que contribuem para a segurança de um ambiente, bem, comunidade ou indivíduo. Refere-se à ausência de perigos ou riscos reais, mensurável por meio de dados e estatísticas. Esses elementos podem ser avaliados de forma concreta e geralmente estão relacionados a fatores externos e físicos. Exemplos: taxas de criminalidade, número de acidentes, entre outros.

Definição de Segurança Subjetiva

A segurança subjetiva está relacionada à percepção individual ou coletiva de segurança em um determinado ambiente. Ela se baseia nas experiências pessoais, sentimentos, crenças e emoções das pessoas em relação à segurança, independentemente da presença de medidas objetivas de segurança. Exemplos: sensação de medo ou insegurança, nível de confiança nas autoridades, experiências pessoais com crimes ou violência

Diferença entre Segurança Objetiva e Subjetiva

A segurança objetiva é fundamentada em fatos e dados concretos. Ela engloba medidas físicas e tangíveis, tais como a presença de agentes de segurança, o uso de câmeras de vigilância, a implementação de iluminação adequada, entre outras. Essas medidas podem ser quantificadas e avaliadas de forma objetiva, oferecendo uma base sólida para a proteção de pessoas e propriedades.

Por outro lado, a segurança subjetiva está relacionada aos sentimentos e percepções individuais em relação à segurança de um ambiente. É a sensação de conforto, confiança e tranquilidade que as pessoas experimentam ao estar em um determinado local. Essa dimensão da segurança é influenciada por fatores como histórico pessoal, ambiente social, comunicação e experiências anteriores.

Dessa forma, ao considerar tanto a segurança objetiva quanto à segurança subjetiva, podemos criar ambientes mais seguros e acolhedores para todos os ocupantes. A combinação dessas duas perspectivas nos permite não apenas estabelecer medidas concretas de proteção, mas também promover uma sensação de segurança que contribui para o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas.

Importância de Compreender ambas as perspectivas

A importância de compreender tanto a perspectiva da segurança objetiva quanto da segurança subjetiva reside no fato de que ambas desempenham papéis cruciais na criação de ambientes verdadeiramente seguros e acolhedores. Vamos explorar por que entender essas duas dimensões é essencial:

  1. Eficiência na Proteção: A segurança objetiva fornece as bases tangíveis para a proteção, incluindo medidas de segurança física como agentes de segurança, câmeras de vigilância e alarmes. Compreender e implementar essas medidas adequadamente é fundamental para a eficácia na prevenção de crimes e incidentes.
  2. Sensação de Segurança: Por outro lado, a segurança subjetiva influencia diretamente como as pessoas se sentem em um ambiente. Mesmo com medidas objetivas em vigor, se as pessoas não se sentirem seguras subjetivamente, isso pode afetar seu bem-estar, produtividade e interações sociais.
  3. Melhoria da Qualidade de Vida: Ao considerar ambas as perspectivas, é possível criar ambientes onde as pessoas se sintam protegidas tanto fisicamente quanto emocionalmente. Isso contribui para uma melhor qualidade de vida e bem-estar geral das pessoas.
  4. Engajamento e Coesão Comunitária: Compreender a segurança subjetiva permite que empresas e comunidades abordem as preocupações e necessidades individuais dos ocupantes. Isso promove um ambiente de confiança e colaboração, incentivando o engajamento e a coesão comunitária.
  5. Construção de Cultura de Segurança: A compreensão e integração adequadas de ambas as perspectivas ajudam a construir uma cultura de segurança sólida. Isso envolve não apenas a implementação de medidas físicas, mas também a promoção de uma sensação de segurança que permeia todo o ambiente.

Estratégias para promover a Segurança Objetiva e a Subjetiva

Promover a segurança objetiva e subjetiva requer uma abordagem de segurança holística que combine medidas físicas, sociais, comunitárias e psicológicas. Aqui estão algumas das principais estratégias e ações para promover tanto a segurança objetiva quanto a subjetiva:

Estratégias para Promover a Segurança Objetiva:

  1. Melhoria da Iluminação: Instalação de luzes de rua adequadas em áreas residenciais e comerciais. Uso de iluminação direcionada em locais específicos, como parques e estacionamentos.
  2. Instalação de Câmeras de Vigilância: Colocação de câmeras em locais estratégicos para monitorar atividades suspeitas. Conexão das câmeras a centros de monitoramento ou sistemas de segurança.
  3. Aumento do Policiamento: Implementação de patrulhas regulares em áreas de maior incidência de crimes. Colaboração com forças policiais locais para melhorar a presença policial.
  4. Controle de Acesso e Segurança Física: Instalação de portões, cercas e barreiras físicas em áreas sensíveis. Utilização de sistemas de controle de acesso em edifícios e instalações.
  5. Implementação de Sistemas de Alarme e Monitoramento: Instalação de alarmes em residências, empresas e locais públicos. Integração de sistemas de monitoramento de segurança com resposta rápida a alarmes.
  6. Desenvolvimento de Programas de Prevenção de Crimes: Realização de campanhas educativas sobre segurança para a comunidade. Organização de grupos de vizinhança para vigilância e prevenção de crimes.

Estratégias para Promover a Segurança Subjetiva:

  1. Melhoria da Comunicação e Informação: Divulgação de estatísticas e informações sobre a segurança da região. Criação de canais de comunicação para relatar preocupações e solicitar ajuda.
  2. Fomento à Coesão Social e Envolvimento Comunitário: Organização de eventos comunitários para fortalecer laços sociais. Estímulo à participação em grupos e atividades locais, como associações de moradores.
  3. Criação de Ambientes Acolhedores e Agradáveis: Manutenção de espaços públicos limpos, bem cuidados e atraentes. Investimento em áreas verdes, parques e espaços de convivência.
  4. Desenvolvimento de Programas de Saúde Mental e Bem-Estar: Oferta de serviços de apoio psicológico e emocional para residentes. Promoção de atividades de relaxamento, meditação e exercício físico.
  5. Implementação de Políticas de Prevenção de Violência: Apoio a programas de educação e prevenção de violência doméstica e juvenil. Incentivo ao diálogo e resolução pacífica de conflitos em escolas e comunidades.
segurança objetiva e  subjetiva

Importância da Segurança Objetiva e Subjetiva na Segurança Privada

No mercado da segurança privada, o equilíbrio entre segurança objetiva e a subjetiva desempenha um papel crucial na prestação dos serviços de segurança privada. Neste contexto, a segurança objetiva é representada por medidas físicas e concretas, tais como barreiras físicas, câmeras de vigilância, sistemas de alarme, controle de acesso e presença de vigilantes. Esses elementos fornecem uma base sólida para a prevenção de crimes, redução de riscos e proteção de propriedades e ativos.

Por outro lado, a segurança subjetiva está intrinsecamente ligada à percepção individual de segurança em um ambiente específico (cliente). Refere-se à confiança e tranquilidade que as pessoas experimentam ao entrar em um local, independentemente das medidas físicas presentes.

Empresas de segurança privada que reconhecem a importância dessa convergência estão não apenas protegendo pessoas e propriedades, mas também promovendo uma sensação de segurança, de confiança e bem-estar para todos os que compartilham esses espaços. Isso contribui para o crescimento da empresa e o fortalecimento de sua marca, além de fomentar uma cultura de segurança abrangente e sustentável.

Conclusão

Ao longo deste artigo, exploramos a complexidade da segurança, analisando as diferenças entre a segurança objetiva, mensurável por números e dados concretos, e a segurança subjetiva, influenciada pelas percepções individuais e experiências emocionais. Vimos como esses dois aspectos são interdependentes e complementares na criação de ambientes verdadeiramente seguros e acolhedores.

A segurança vai além das barreiras físicas e das estatísticas de crimes. Ela se estende à sensação de bem-estar, confiança e conexão com a comunidade. Ao entender e integrar ambas as perspectivas, podemos promover uma cultura de segurança abrangente que beneficia a todos.

É fundamental lembrar que a segurança objetiva fornece a base tangível para a proteção, enquanto a segurança subjetiva influencia diretamente como as pessoas se sentem e interagem em seu ambiente. Ao reconhecer essa dualidade, podemos criar espaços onde todos se sintam seguros, confiantes e engajados em suas comunidades.

Para continuar a explorar esse tema fascinante, convido você a ler nosso próximo artigo: “Sensação de Segurança“. Descubra como a percepção individual de segurança impacta diretamente a qualidade de vida e como podemos promover uma sensação de segurança duradoura em nossas vidas.

Se você gostou do artigo e achou útil, por favor, deixe um comentário logo abaixo para compartilhar sua opinião conosco. Ela é extremamente valiosa para mim!

Um forte abraço e votos de sucesso!

José Sergio Marcondes – CES – CPSI – Gestor, Consultor e Diretor do IBRASEP. Especialista em segurança com competências sólidas nas áreas de segurança privada e gestão empresarial. Conecte comigo nas redes sociais.

Ajudar a divulgar nosso trabalho é fundamental! Curta e compartilhe nossas publicações com seus amigos nas redes sociais. Essa atitude não apenas incentiva o autor a publicar mais artigos relevantes, mas também possibilita que mais pessoas tenham acesso a esse conteúdo valioso.

Faça parte da nossa comunidade!

Você busca conhecimentos atualizados e oportunidades para aprimorar suas competências nas áreas de segurança privada e gestão empresarial? Não perca a chance de se manter informado e conectado com as últimas tendências e insights do setor!

Junte-se ao nosso Grupo no WhatsApp para receber notificações sobre novos artigos, dicas valiosas e recursos adicionais que impulsionarão sua carreira profissional.

Leia também…

Sugiro a leitura dos artigos a seguir como forma de complementar o aprendizado desse artigo.

Descubra o Conceito de Segurança: Definição, significado, tipos de Segurança e suas características

Sensação de Segurança: O que é, Por que é Importante, O Que Influencia e Como Promover

Vulnerabilidade de Segurança: O que é, Classificação, Exemplos

Cultura de Segurança: O que é? As 7 Dimensões da Cultura

Estratégia de Segurança: O que é, Objetivos, Importância

Dados para Citação Artigo

MARCONDES, José Sergio (19 de março de 2024). Segurança Objetiva e Subjetiva: Diferenças, Impactos, Estratégias. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/seguranca-objetiva-e-subjetiva/ – Acessado em (inserir data do acesso).

"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

Graduado em Gestão de Segurança Privada, MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. Detentor das Certificações CES (Certificado de Especialista em Segurança Empresarial), CPSI (Certificado Profesional en Seguridad Internacional), CISI (Certificado de Consultor Internacional en Seguridad Integral, Gestión de Riesgos y Prevención de Pérdidas). Mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada. Consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial.

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.