- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Métodos de Extinção do Fogo – Combate a Incêndio

MÉTODOS DE EXTINÇÃO DO FOGO
1. MÉTODOS DE EXTINÇÃO DO FOGO

Métodos de extinção do fogo são os processo racionais e seguros utilizados/praticados com o objetivo de se  se controlar ou extinguir um fogo não desejado, de forma a preservar a vida e os bens materiais envolvidos.

Os métodos de extinção do fogo levam em consideração a teoria básica do fogo, onde concluímos que, o fogo só existe quando estão presentes, em proporções ideais, o combustível, o comburente e o calor, reagindo em cadeia.

Com base  nesses conhecimentos, concluímos que, quebrando a reação em cadeia e isolando um dos elementos do fogo, teremos interrupção da combustão.

Destes pressupostos, retiramos os métodos de extinção do fogo: extinção por resfriamento, extinção por  abafamento, extinção por isolamento e extinção química.

1.1 EXTINÇÃO POR RESFRIAMENTO

Este métodos de extinção do  fogo consiste na diminuição da temperatura e, consequentemente, na diminuição do calor.

O objetivo é fazer com que o combustível não gere mais gases e vapores e, finalmente, se apague.

O agente resfriador mais comum e mais utilizado é a água.

1.2 EXTINÇÃO POR ABAFAMENTO

Este métodos de extinção do  fogo consiste em impedir que o COMBURENTE (geralmente o oxigênio), permaneça em contato com o combustível, numa porcentagem ideal para a alimentação da combustão.

Para as combustões alimentadas pelo oxigênio, no momento em que a quantidade deste gás no ar atmosférico se encontrar abaixo da proporção de aproximadamente 16%, a combustão deixará de existir.

Para combater incêndios por abafamento podem ser usados os mais diversos materiais, desde que esse
material impeça a entrada de oxigênio no fogo e não sirva como combustível por um determinado tempo.

1.3 EXTINÇÃO ISOLAMENTO

O  métodos de extinção do  fogo por isolamento visa atuar na retirada do COMBUSTÍVEL da reação.

Existem duas técnicas que contemplam esse método:

  • através da retirada do material que está queimando;
  • através da retirada do material que está próximo ao fogo e que deverá entrar em combustão por meio de um dos métodos de propagação.

1.4 EXTINÇÃO QUÍMICA

O processo da extinção química visa a combinação de um agente químico específico com a mistura inflamável (vapores liberados do combustível e comburente), a fim de tornar essa mistura não inflamável.

Logo, esse, método não atua diretamente num elemento do fogo, e sim na reação em cadeia como um todo.

2.1 CLASSES DE INCÊNDIO

Para se combater um incêndio usando os métodos adequados (extinção rápida e segura), há a necessidade de
entendermos quais são as características que definem os combustíveis.

Existem cinco classes de combustíveis reconhecidas pelos maiores órgãos voltados ao estudo do tema, sendo elas:

Classe A – sólidos combustíveis;

Classe B – líquidos e gases combustíveis;

Classe C – materiais energizados;

Classe D – metais pirofóricos; e

classe K – óleos e gorduras.

Já se fala também em uma nova classe, a Classe E, que representa os materiais químicos e radioativos.

Como essa nova classe ainda não é reconhecida internacionalmente, não nos aprofundaremos nela.

2.1 INCÊNDIO CLASSE A

Definição: são os incêndios ocorridos em materiais fibrosos ou combustíveis sólidos.

Características: queimam em razão do seu volume, isto é, em superfície e profundidade.

Esse tipo de combustível deixa resíduos (cinzas ou brasas).

Exemplos: madeira, papel, borracha, cereais, tecidos etc.

Extinção: geralmente o incêndio nesse tipo de material é apagado por resfriamento.

2.2 INCÊNDIO CLASSE B

Definição: são os incêndios ocorridos em combustíveis líquidos ou gases combustíveis.

Características: a queima é feita através da sua superfície e não deixa resíduos.

Exemplos: GLP, óleos, gasolina, éter, butano etc.

Extinção: por abafamento.

2.3 INCÊNDIO CLASSE C

Definição: são os incêndios ocorridos em materiais energizados.

Características: oferecem alto risco à vida na ação de combate, pela presença de eletricidade.

Quando desconectamos o equipamento da sua fonte de energia, se não houver nenhuma bateria interna ou dispositivo que mantenha energia, podemos tratar como incêndio em classe A ou classe B.

Exemplos: transformadores, motores, interruptores etc.

Extinção: agentes extintores que não conduzam eletricidade, ficando vedados a água e o gás carbônico.

2.4 INCÊNDIO CLASSE D

Definição: são os incêndios ocorridos em metais pirofóricos.

Características: irradiam uma forte luz e são muito difíceis de serem apagados.

Exemplos: rodas de magnésio, potássio, alumínio em pó, titânio, sódio etc.

Extinção: através do abafamento, não devendo nunca ser usado água ou espuma para a extinção desse tipo de incêndio.

2.5 INCÊNDIO CLASSE K

Definição: são os incêndios em banha, gordura e óleos voltados ao cozimento de alimentos.

Características: é uma classe de muita periculosidade, ao passo que o trato de banha, gordura e óleos é bastante comum nas cozinhas residenciais e industriais.

Exemplos: incêndios em cozinhas quando a banha, a gordura e os óleos são aquecidos.

Extinção: JAMAIS TENTAR COMBATER COM ÁGUA.

Essa classe reage perigosamente com água, gerando explosões e ferindo quem estiver próximo.

O método mais indicado de combater o incêndio nessa classe é através do abafamento.

Se você gostou do artigo e achou útil, por favor, deixe um comentário logo abaixo para compartilhar sua opinião conosco. Ela é extremamente valiosa para mim!

Um forte abraço e votos de sucesso!

José Sergio Marcondes – CES – CPSI – Gestor, Consultor e Diretor do IBRASEP. Sou um profissional com competências sólidas nas áreas de segurança privada e gestão empresarial. Conecte comigo nas redes sociais.

Ajudar a divulgar nosso trabalho é fundamental! Curta e compartilhe nossas publicações com seus amigos nas redes sociais. Essa atitude não apenas incentiva o autor a publicar mais artigos relevantes, mas também possibilita que mais pessoas tenham acesso a esse conteúdo valioso.

Faça parte da nossa comunidade!

Você busca conhecimentos atualizados e oportunidades para aprimorar suas competências nas áreas de segurança privada e gestão empresarial? Não perca a chance de se manter informado e conectado com as últimas tendências e insights do setor!

Inscreva-se em nossa Newsletter e junte-se ao nosso Grupo no WhatsApp para receber notificações sobre novos artigos, dicas valiosas e recursos adicionais que impulsionarão sua carreira profissional.

3. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

BRASIL-PARANÁ-COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL (2013). MANUAL DE PREVENÇÃO E COMBATE A PRINCÍPIOS DE INCÊNDIO.2

Bombeiros SP, C. d. (s.INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 02/2011 Conceitos básicos de segurança contra incêndio. Acesso em 25 de 10 de 2017, disponível em Corpo de Bombeiros POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO.

"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

Graduado em Gestão de Segurança Privada, MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. Detentor das Certificações CES (Certificado de Especialista em Segurança Empresarial), CPSI (Certificado Profesional en Seguridad Internacional), CISI (Certificado de Consultor Internacional en Seguridad Integral, Gestión de Riesgos y Prevención de Pérdidas). Mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada. Consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


  1. Olá Franciely!
    Obrigado pelo sua colaboração, com certeza irá tornar o artigo mais preciso.
    Forte abraço e sucesso.

  2. Bem informativo.
    Só uma observação, o CO2 ainda é o agente extintor mais utilizado para princípios de incêndios classe C materiais energizados, pois ele não conduz corrente elétrica. Na sua explicação acima ficou parecendo que é vedado o uso do gás carbonico para classe C.

  3. Olá Laurindo!
    Obrigado pelo seu comentário, forte abraço e sucesso.

  4. Olá Josué Oliveira Souza!
    Obrigado pela seu comentário.
    Forte abraço e sucesso na sua carreira!

  5. Muito obrigado pela matéria, é sempre bom relembrarmos como combater os princípios de incêndio, uma vez que se a situação for controlada no início, evitaremos grandes prejuízos e danos ao patrimônio e a vida.

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.