- 5790FBE8A27AC0FA6FCB89065534CF70

Utilização de Cães na Segurança Privada: Como é empregado na vigilância patrimonial

Saiba como os cães, através de seus sentidos aguçados, instintos protetores e treinamento especializado, podem se tornarem excelentes aliados para segurança.

A Utilização de Cães na Segurança Privada refere-se ao emprego de cães adestrados para atividade de vigilância patrimonial, uma prática que pode trazer diversos benefícios e reforçar a eficiência das operações da segurança. Seu emprego é autorizado pela Portaria Nº 18.045 da Polícia Federal.

A segurança privada desempenha um papel fundamental na proteção de patrimônios e na garantia da tranquilidade de pessoas e empresas. No entanto, além das tradicionais medidas de segurança, como sistemas de alarme e vigilantes, existe uma arma poderosa que tem se destacado cada vez mais nesse cenário: os cães adestrados.

Ao longo dos anos, a utilização de cães na vigilância patrimonial tem se mostrado altamente eficaz, trazendo benefícios significativos para a segurança e a prevenção de incidentes. Com seus sentidos aguçados, instintos protetores e treinamento especializado, os cães se tornaram excelentes aliados para enfrentar os desafios da vigilância patrimonial.

Neste artigo, exploraremos a importância da utilização de cães na segurança privada, destacando os benefícios que essa parceria proporciona e as estratégias de emprego desses incríveis animais. Além disso, abordaremos a legislação relacionada ao assunto e os requisitos necessários para a habilitação de do vigilante como condutor de cães.

Por José Sergio Marcondes – Postado 15/12/2015 atualizado 17/07/2023

Utilização de Cães na Segurança Privada

A Utilização de Cães na Segurança Privada refere-se ao emprego de cães adestrados para atividade de vigilância patrimonial, uma prática que pode trazer diversos benefícios e reforçar a eficiência das operações da segurança. Seu emprego é autorizado pela Portaria Nº 18.045 da Polícia Federal.

De acordo com a legislação vigente, as empresas de vigilância patrimonial e aquelas que possuem serviço orgânico de segurança podem fazer uso de cães adestrados, desde que tenham autorização de funcionamento e certificado de segurança válido.

Para garantir a segurança e o bom desempenho dos cães, e cumprimento dos requisitos legais, é fundamental que os cães sejam adequadamente adestrados por profissionais habilitados. É importante ressaltar que os cães adestrados devem sempre ser conduzidos por vigilantes devidamente habilitados para conduzi-los.

A utilização de cães adestrados na segurança patrimonial pode ser uma estratégia eficaz para deter possíveis ameaças e garantir a proteção adequada dos locais sob vigilância. É uma prática que demanda o cumprimento de normas e requisitos específicos, visando à segurança tanto dos cães quanto dos profissionais envolvidos.

É importante ressaltar que a legislação atual cita o uso do cão por empresas de vigilância patrimonial, e na atividade de vigilância patrimonial, indicado que o uso do cão é restrito para as atividades que envolvem a vigilância patrimonial.

Quais são os requisitos para Utilização de Cães na Segurança Privada

Para que a segurança privada possa utilizar cães em suas atividades, é necessário cumprir alguns requisitos específicos previstos na Portaria Nº 18.045, que envolvem os seguintes aspectos:

  1. Autorização de funcionamento: As empresas de vigilância patrimonial e as que possuem serviço orgânico de segurança poderão utilizar cães em seus serviços, desde que possuam autorização de funcionamento e certificado de segurança válido, emitidos pela Polícia Federal.
  2. Adestramento dos cães: Os cães deverão ser adequadamente adestrados por profissionais comprovadamente habilitados em curso de cinofilia;
  3. Propriedade dos cães: Os cães deverão ser de propriedade da empresa de vigilância patrimonial ou da que possui serviço orgânico de segurança, ou de canil de organização militar, de Kennel Club ou particular.
  4. Habilitação dos vigilantes condutores: Os vigilantes responsáveis pela condução e trabalho em conjunto com os cães devem possuir habilitação específica para essa função.
  5. Condução do cão: Os cães adestrados deverão estar sempre sendo conduzido por vigilantes devidamente habilitados para a condução do animal.
  6. Identificação do cão: O cão, quando utilizado em serviço, deverá possuir peitoral de pano sobre o seu dorso, contendo logotipo e nome da empresa.

Utilização de Cães na Segurança Privada, com é o adestramento?

Tendo como referência a Portaria Nº 18.045, seu Art. 135 e Parágrafo único, que diz que, o adestramento do cão deverá seguir procedimento básico e técnico-policial-militar semelhante ao adotado pela polícia militar, podemos dizer que o adestramento dos cães deve abordar aspectos importantes como:

  1. Socialização: Os cães devem ser expostos a diferentes ambientes, pessoas e situações desde filhotes para desenvolver habilidades sociais e adaptabilidade.
  2. Obediência: Os cães precisam ser treinados para obedecer a comandos básicos, como sentar, deitar, ficar e vir quando chamados. Isso garante controle e segurança durante as operações.
  3. Proteção: Os cães precisam ser treinados para defender o condutor e para atacar mediante comando e controle do vigilante condutor.
  4. Identificação de ameaças: Os cães devem ser treinados para identificar e alertar sobre possíveis ameaças, como intrusos, por exemplo.
  5. Busca e detecção: Dependendo da finalidade, os cães podem ser treinados para buscar e encontrar pessoas e objetos.
  6. Controle e agressividade controlada: Cães de segurança privada devem ser capazes de demonstrar agressividade controlada quando necessário, mas também responder prontamente aos comandos de seus condutores para evitar riscos desnecessários.

O treinamento deve ser baseado em técnicas positivas de reforço, recompensando os comportamentos desejados e evitando o uso de métodos cruéis ou abusivos. Também é importante que os condutores dos cães recebam treinamento adequado para garantir uma comunicação eficaz com seus parceiros caninos.

Como deve ser a habilitação do vigilante condutor de cães?

A legislação atual não é precisa no que refere a habilitação do vigilante para conduzir o cão, apenas cita que a habilitação deve ser obtida em treinamento prático, em órgão militar ou policial, Kennel Club ou empresa de curso de formação, expedindo-se declaração ou certificado de conclusão de curso.

Tem em vista a complexidade de conduzir um cão de serviço na vigilância patrimonial, ao meu ver, o curso de habilitação para vigilante condutor de cães deve abordar uma série de conhecimentos e habilidades específicas relacionadas ao manejo, treinamento e condução de cães, que incluem:

  1. Comportamento canino: O vigilante deve aprender sobre o comportamento natural dos cães, suas características, instintos e linguagem corporal. Isso ajudará a compreender melhor as necessidades e reações dos cães durante as atividades de vigilância.
  2. Treinamento de obediência: O curso deve abordar técnicas de treinamento de obediência canina, ensinando como estabelecer comandos básicos, fortalecer o vínculo entre o vigilante e o cão, e garantir um controle adequado do animal em diferentes situações.
  3. Técnicas de aplicação do cão para proteção: O curso deve ensinar ao vigilante como conduzir e empregar o cão na proteção (ataque e defesa), de forma que cão sempre se mantenha sob controle do condutor.
  4. Técnicas de busca: O curso deve incluir treinamento em técnicas de busca e detecção. Isso o emprego do cão para buscar e localização de pessoas suspeitas ou em fuga.
  5. Técnicas e modus operandi de emprego do cão na vigilância patrimonial: O vigilante deve aprender a como conduzir e empregar o cão na sua rotina diária na execução das suas tarefas da vigilância patrimonial.
  6. Legislação e regulamentos: O vigilante deve estudar a legislação específica relacionada ao uso de cães na segurança privada, compreendendo as regras e regulamentos que regem sua atuação. Isso inclui aspectos legais, éticos e de bem-estar animal.
  7. Primeiros socorros caninos: É importante que o vigilante esteja preparado para prestar os primeiros socorros em caso de emergências ou lesões que possam ocorrer durante o trabalho com os cães.
  8. Procedimentos de segurança: O vigilante deve aprender os procedimentos de segurança específicos para trabalhar com cães na vigilância patrimonial. Isso pode incluir práticas de segurança durante o transporte, manejo, uso e guarda dos cães, bem como protocolos de segurança para interagir com o público.

Esses são apenas alguns exemplos dos temas que podem ser abordados no curso de habilitação para condução de cães na vigilância patrimonial.

O objetivo do curso deve ser o de fornecer ao vigilante os conhecimentos e as habilidades necessárias para trabalhar de forma segura, eficiente e humanitária com o cão, garantindo o bem-estar do animal e contribuindo para a segurança dos locais a serem protegidos.

Utilização de Cães na Segurança Privada

Estratégias para Utilização de Cães na Vigilância Patrimonial

A estratégia de emprego de cães na vigilância patrimonial pode variar de acordo com as necessidades específicas de cada local e situação. No entanto, existem algumas estratégias comuns que podem ser consideradas:

  1. Patrulhamento de áreas: Os cães podem ser utilizados para realizar patrulhas em áreas de um estabelecimento, como cercas, portões e perímetros. Essa estratégia ajuda a detectar e deter intrusos antes que eles possam entrar nas instalações.
  2. Busca e detecção: Os cães são excelentes em identificar odores específicos. Eles podem ser treinados para farejar e indicar a presença dessas substâncias, auxiliando na detecção de ameaças e na prevenção de incidentes.
  3. Intervenção em situações de risco: Os cães adestrados podem ser empregados para intervir em situações de risco, como confrontos ou tentativas de invasão. Eles são capazes de exercer controle e restringir o movimento de pessoas suspeitas até que a equipe de segurança humana chegue ao local.
  4. Dissuasão de intrusos: A simples presença de cães de guarda pode ser um fator dissuasivo para intrusos. A possibilidade de enfrentar um cão adestrado pode desencorajar indivíduos mal-intencionados de tentar invadir uma propriedade, contribuindo para a segurança preventiva.
  5. Aumento da eficácia das rondas: Com os cães acompanhando as rondas de segurança, a capacidade de detecção de ameaças é ampliada. Os cães podem identificar sinais de intrusão que passariam despercebidos aos vigilantes, tornando as rondas mais eficazes.

É importante ressaltar que a estratégia de emprego de cães na vigilância patrimonial deve ser desenvolvida em conjunto com um profissional da segurança, levando em consideração os riscos específicos do local, a legislação aplicável e as necessidades da atividade.

Além disso, é fundamental fornecer treinamento e cuidados adequados aos cães, bem como garantir que os condutores estejam preparados para trabalhar em harmonia com os animais.

Quais os benefícios da Utilização de Cães na Segurança Privada?

A utilização de cães adestrados na segurança privada oferece uma série de benefícios significativos. Aqui estão alguns dos principais benefícios:

  1. Elemento dissuasório: A presença de cães adestrados atua como um poderoso elemento dissuasório para possíveis invasores e criminosos. O instinto protetor dos cães e sua aparência imponente podem desencorajar atividades ilícitas e prevenir incidentes de segurança.
  2. Sensibilidade sensorial aguçada: Os cães possuem sentidos apurados, como olfato e audição, que são muito superiores aos dos seres humanos. Isso os torna altamente eficazes na detecção de intrusos, proporcionando um nível adicional de segurança.
  3. Mobilidade e alcance: Os cães são capazes de se mover rapidamente em diferentes terrenos e acessar áreas de difícil alcance para os humanos. Eles podem cobrir grandes áreas com eficiência e velocidade, o que é especialmente útil em patrulhas de segurança extensas ou em espaços complexos.
  4. Reações rápidas e precisas: Os cães são treinados para responder a comandos específicos e agir rapidamente em situações de perigo. Sua agilidade e prontidão permitem respostas rápidas e precisas, contribuindo para a prevenção de incidentes e a proteção de pessoas e propriedades.
  5. Interação social e relacionamento com a equipe de segurança: Além de suas habilidades de segurança, os cães adestrados também estabelecem laços fortes com seus condutores e a equipe de segurança. Essa relação de confiança e lealdade promove um ambiente de trabalho colaborativo e fortalece o trabalho em equipe.
  6. Aumento da eficiência operacional: A presença de cães adestrados na segurança privada pode melhorar significativamente a eficiência operacional. Com suas habilidades únicas, eles podem complementar as estratégias de segurança existentes, realizar tarefas específicas, reduzir o tempo de resposta e aumentar a eficácia global das operações de segurança.

Em resumo, os cães adestrados trazem uma combinação única de habilidades sensoriais, mobilidade, prontidão e interação social, que resultam em benefícios abrangentes para a segurança privada. Seu uso aprimora a detecção, dissuasão e resposta a ameaças, contribuindo para um ambiente mais seguro para pessoas, propriedades e ativos.

Dicas Gerais sobre a Atividade de Vigilância com Cães

A vigilância patrimonial com cães é uma atividade especializada que requer planejamento cuidadoso e treinamento adequado. A seguir algumas diretrizes para garantir uma vigilância eficaz com cães:

  1. Treinamento profissional: Os cães devem ser adestrados por profissionais experientes e especializados em cinofilia. O treinamento deve abranger obediência, busca e detecção, intervenção em situações de risco e outras habilidades relevantes para a segurança patrimonial.
  2. Seleção adequada dos cães: É importante escolher raças e indivíduos caninos adequados para a atividade de vigilância. Cães de trabalho, como pastores alemães, dobermans, rottweilers, entre outros, são frequentemente utilizados devido às suas características físicas e mentais.
  3. Integração com a equipe de vigilantes: Os cães devem ser treinados para trabalhar em conjunto com os vigilantes humanos. Isso envolve estabelecer uma comunicação eficaz entre o condutor do cão e a equipe de vigilância, para garantir uma atuação coordenada e segura.
  4. Patrulhas regulares: Os locais a serem patrulhados devem ser determinados com base em uma análise de riscos e vulnerabilidades, priorizando áreas sensíveis e de maior probabilidade de incidentes.
  5. Sinalização adequada: É importante fornecer sinalização clara de que a vigilância patrimonial com cães está em operação. Isso pode incluir placas indicativas e a presença visível do condutor do cão para informar aos visitantes e possíveis intrusos sobre a presença dos animais.
  6. Registro de ocorrências: Qualquer ocorrência relevante deve ser documentada de forma adequada, incluindo registros de rondas, detecção de ameaças e ações tomadas pelos cães e condutores. Esses registros são importantes para monitorar a eficácia da vigilância e fornecer informações para aprimorar os procedimentos de segurança.
  7. Manutenção da saúde e bem-estar dos cães: Garantir o bem-estar físico e mental dos cães é fundamental. Isso envolve fornecer cuidados veterinários adequados, alimentação balanceada, exercícios regulares e estímulo mental para que os cães estejam em condições ótimas para realizar suas tarefas.

Conclusão:

Ao longo deste artigo, abordamos a importância da utilização de cães na segurança privada e como esses incríveis animais se tornaram aliados valiosos na proteção de patrimônios. Recapitulando os principais pontos abordados, vimos que os cães adestrados oferecem uma série de benefícios, como a detecção precoce de ameaças, a dissuasão de intrusos e a capacidade de agir em situações de risco.

A presença canina na segurança privada traz um efeito dissuasivo significativo, desencorajando potenciais invasores e reduzindo as chances de ocorrência de incidentes. Além disso, os cães são capazes de realizar buscas em áreas de maneira rápida e eficiente, contribuindo para a detecção pessoas suspeitas.

Ressaltamos que a utilização de cães na segurança privada é autorizada pela Portaria Nº 18.045, que estabelece uma séria de condições para esse uso, e que o vigilante para conduzir o cão precisa ser aprovado num curso de habilitação em órgão militar ou policial, Kennel Club ou empresa de curso de formação.

Para conhecer mais e ampliar o seu conhecimento sobre as possiblidades de utilização dos cães na segurança privada sugiro a leitura no meu artigo sobre o Curso de Vigilante Condutor de Cães, onde abordo os principais aspectos do curso e sua importância.

Você Gostou do Artigo?

Aqui no Blog escrevo frequentemente artigos relacionados à Segurança privada e Gestão organizacional, visando sempre agregar conhecimento para os leitores, buscando o desenvolvimento profissional de forma que possam obter sucesso nas suas carreiras. Não perca nenhuma atualização importante! Inscreva-se na nossa newsletter e grupo de WhatsApp e seja um dos primeiros a saber das novidades.

Contribua para enriquecer o conteúdo do artigo deixando seu comentário abaixo e compartilhando suas opiniões conosco. Sua opinião é muito valiosa! Junte-se a nós e faça parte da nossa comunidade dedicada ao conhecimento sobre Segurança Privada e Gestão Organizacional. Inscreva-se agora! “

Forte abraço e sucesso!

José Sérgio Marcondes – CES
Especialista em Segurança Empresarial
Consultor em Segurança Privada
Diretor do IBRASEP

Leia também…

Sugiro a leitura dos artigos a seguir como forma de complementar o aprendizado desse artigo.

Cão de Guarda: O que é? Definição, Características, Raças Indicadas

Dados para Citação Artigo

MARCONDES, José Sérgio (15 de dezembro de 2015). Utilização de Cães na Segurança Privada – Vigilância Patrimonial. Disponível em Blog Gestão de Segurança Privada: https://gestaodesegurancaprivada.com.br/utilizacao-de-caes-adestrados-na-seguranca-privada/– Acessado em (inserir data do acesso).

Referências Bibliográficas

LEI Nº 7.102, DE 20 DE JUNHO DE 1983. Dispõe sobre segurança para estabelecimentos financeiros, estabelece normas para constituição e funcionamento das empresas particulares que exploram serviços de vigilância e de transporte de valores, e dá outras providências.

PORTARIA Nº 18.045, DE 17 DE ABRIL DE 2023, que disciplina as atividades de segurança privada e regula a fiscalização dos Planos de Segurança dos estabelecimentos financeiros:

"? Fique por Dentro! Junte-se ao Nosso Grupo de WhatsApp!

Quer ser o primeiro a receber todas as atualizações do nosso blog? Então, não perca tempo! Junte-se ao nosso Grupo de WhatsApp agora mesmo e esteja sempre atualizado(a) com as últimas postagens.

Sobre o Autor

José Sergio Marcondes
José Sergio Marcondes

Graduado em Gestão de Segurança Privada, MBA em Gestão Empresarial e Segurança Corporativa. Detentor das Certificações CES (Certificado de Especialista em Segurança Empresarial), CPSI (Certificado Profesional en Seguridad Internacional), CISI (Certificado de Consultor Internacional en Seguridad Integral, Gestión de Riesgos y Prevención de Pérdidas). Mais de 30 anos de experiência na área de segurança privada. Consultor e diretor do IBRASEP, trazendo uma notável expertise em segurança, além de possuir sólidos conhecimentos nas áreas de gestão empresarial.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.


  1. Olá Ronaldo!
    Neste caso a empresa está atuando de forma irregular e pode ser multada pela Polícia Federal.
    Forte abraço e sucesso.

  2. Olá e quando o posto de serviço não tem nem o vigilante qualificado e nem os cães devidamente treinados para tal função..?

  3. Olá Welington!
    Qualquer pessoa, a legislação não especifica detalhes sobre a empresa.
    Forte abraço e sucesso.

  4. Olá boa tarde!
    Eu gostaria de saber quem pode abrir uma enpresa para trabalhar com Cães?
    Estado do Espírito Santo.

  5. Olá Valderi!
    Obrigado pelo seu comentário.
    Forte abraço e sucesso.

Solicitar exportação de dados

Use este formulário para solicitar uma cópia de seus dados neste site.

Solicitar a remoção de dados

Use este formulário para solicitar a remoção de seus dados neste site.

Solicitar retificação de dados

Use este formulário para solicitar a retificação de seus dados neste site. Aqui você pode corrigir ou atualizar seus dados, por exemplo.

Solicitar cancelamento de inscrição

Use este formulário para solicitar a cancelamento da inscrição do seu e-mail em nossas listas de e-mail.